quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Making of...

Comecei a colorir um desenho novo. Achei piada explicar o processo, por isso aqui vai...
Started a new drawing, tought it would be cool to show the process, so here goes...

1- Desenho feito à vista num caderno...
...este foi feito o ano passado no verão, na casa de "verão" dos meus pais. Enquanto fiz o desenho tirei fotos do que desenhava, fotos que me vão ajudar a colorir o desenho mais tarde.
1-Drawing on a sketchbook...
...did this last summer, on my parents "summer" cottage... while drawing I took pictures of what I was drawing to help me later while coloring...

2- Digitaliza-se o desenho...
2- Scan the drawing...

3- ...e o lento processo de colorir o desenho começa...
3- ...and the slow process of coloring begins...



4- E continua...
4- And goes on...




5- E assim se passam dois dias...
5- And so two days go by...


Aqui estão as fotos que serviram de referência para as cores. Eu decidi acrescentar o meu pai (que andava a varrer) no desenho.

Here are the pictures that served as reference to the color work. I decided to add my dad ( sweeping the floor) to the drawing.

6- Este desenho é feito a partir da foto.

6-This drawing is donne from the photo.


7- Acrescenta-se e pinta-se... e está feito
7- Add it up and paint it... and its done.


19 comentários:

Pandora Box disse...

cool, só falta a fotografia que usaste como referência para a pintura. o contraste dará a mais importante das informações deste making of: a transformação do mundo real no teu mundo imaginário.

drmakete disse...

Viva Ricardo,
através do Lino lá dei com o teu blog, ta mt fixe!!

boas viagens :)
_phermad

El Felino disse...

E eu a pensar que era difícil...

João disse...

Porra muito bom mesmo.

disse...

Excelente trabalho, ganhou mais um fã.

Valeu Ricardo

redjan disse...

Liiiiindo ...
Apareci aqui vindo do Olivesaria ... vou voltar vindo por mim !!

Post(er)izer disse...

bem bem não posso deixar de deixar um comentário. vim aqui parar através da Olivesaria (que de quando em quando espreito, como Olivalense que sou). Parabéns pelo blog e sobretudo pelas tua produção pois as imagens são, de facto, lindíssimas. D.

bruno disse...

ola :D

Os erros de perspectiva e de proporção dos objectos são propositados para o desenhos?

por exemplo na planta, ela levou ali uma bela talhada e o arco que o telhado faz também é estranho.

que programa utilizas? Corel Painter IX?

sem querer ofender. acho que devias dar mais importância a desenhar à vista e tentar ultrapassar as dificuldades que tens na técnica de desenho. porque é das poucas coisas que este blog tem que se pode chamar arte

um software não faz de ninguém artista, eu próprio percebi isso.

bons trabalhos.

Devir disse...

O teu trabalho é muito interessante, mesmo quando não usas o teu robot. Nem sempre é preciso pois não? Porque se for, tornamos-nos também nós fora de nós num. Tum!

Este post denota trabalho, dedicação, altruísmo e arte.
Ao contrário do que o Bruno, com o cotovelo um pouco inchado diz, eu acho que o Photoshop está para a arte contemporânea como o aparecimento da tinta acrílico no séc. sei lá de quantos. Renunciar ás ferramentas que nos são dadas pelo tempo em que vivemos é estúpido. A arte é e será sempre, o reflexo da perspectiva de alguém no seu tempo e espaço bem como a sua analise e reacção a isso mesmo. Séc. XXI. Tem software. E ainda vai ter mais.

Viaja e explora-te.

O Panderma Circus é tenebrosamente brutal!!!

Vou voltando... vai aparecendo.

CARLA BERNARDES disse...

ola Ricardo,
Seu trabalho é muito bom meeeesmo! gostei muito, te confeso q pensava q não fosse arte livre mas algo feito com auxilio de potoshop ou coisa do genero...
parabens, vou segui-lo e sempre visita-lo, seus temas para pintura tambem são muito sugestivos..
abraço!
Carla.

anima-base disse...

Cool Work in process.
Thank you

de Velde disse...

I love your work. Really beautiful colours.

PSilvestre disse...

è uma técnica interessante para quem não sabe desenhar muito bem e tem pouca sensibilidade cromática.
Faz-se um esboço meio aldrabado, escarrapacha-se a cor das fotos e Zás...Coitada da Paula Rego e do Paul Freud se isto fosse considerado Arte...Um mero artefacto para encantar leigos.

PSilvestre disse...

Continuo, acrescentando que tenho a certeza que muitos dos desenhos aqui apresentado nem sequer foram desenhados à vista. Aposto com quem quiser provar-me o contário que foram executados sobre fotos prévias.
Por ex. o desenho do rossio, com o grau de promenor evidênciado denota isso mesmo. Eu sei o que é desenhar à vista com os olhos que "Deus nos deu" e sei que isso é impossivél. só com várias sessões e nunca com o grau este de pormenor. Aquele negro que desce para o metro do rossio congelou para que tu o desenhasses. Volto a afirmar, e não tenho o cotovelo inchado, que a 1ª sensação ao ver estes artefactos foi de incredulidade, a seguir de desconfiança, depois desdém.

Ricardo Cabral disse...

oh psilvestre, deixe-se de coisas e faça mas é por ser feliz... e fico mais que agradecido por mencionar a Paula Rego num comentario aos meus desenhos ( eu nunca me atreveria a tal). Nao conheço o Paul Freud...

kalonji disse...

SUPERB !!

Pedro Couto e Santos disse...

Acho impressionantes os comentários agressivos que estão ali para cima. Acham, certamente, que picar cores numa foto para as usar como base para pintar é meio trabalho feito.

Devem também achar que digital é uma coisa que é só chegar e fazer que não requer prática, técnica, descoberta.

Eu venho de Belas Artes não estou aqui só a mandar bitaites, sei do que falo: desenhar, pintar mesmo que seja copiadinho por cima de uma foto (e não é isso que o trabalho do Ricardo é), não é para qualquer um.

É para quem se dedica, para quem pratica, para quem quer aprender.

Gostava de pegar em toda a gente que aqui comentou, dar-lhes as mesmas fotos do Ricardo e o mesmo software e ver o que cada um fazia.

Depois falávamos.

Parabéns Ricardo, pelo teu trabalho - sobretudo a tua capacidade de interpretar a cor e passá-la para o digital com uma expressão que nos deixa na dúvida se é realista que é completamente irreal, a ligação com o traço despreocupado do sketch cria imagens que me dão prazer ver.

CatarinaGarcia disse...

Concordo com o Pedro Silvestre pois é notório que muito do que tens aqui (a maior parte, e no teu livro tb)não é desenhado à vista.
Basta olhar para o desenho do teu pai, uma pessoa que desenha a perspectiva tão bem à vista como noutros desenhos nunca desenharia a pá que ele tem a mão tão desporprocionada em relação ao corpo, para não falar na porta da garagem que encolheu, etc.
Acredita que se investires mais no desenho à vista, não vais ficar tão dependente da fotografia e o teu trabalho fica com muito mais qualidade, além das pessoas assim te darem mais valor por o tradicional ser inquestonavelmente mais dificil que o digital.
E não é dor de cotovelo, é mesmo um conselho. Mais vale admitires do que fazeres um post de propósito para mostrares que desenhas a vista - quem desenha não é enganado.

antónio forte disse...

Parabéns , considero o teu trabalho extraordinário. Adoro a capa Israel sketch book. Para tentar rematar a polémica intalada, lembro que polémicas destas só mesmo aos génios é que arrebentam. Maquinas de ver, e desenhar existem à tanto tempo...Lembrei-me entretanto de um album que guardo religiosamente, produzido pelo Bilal com uma técnica similar, e que tem duas ou três ilustrações centradas em Lisboa. Sr. Silvestre, se conhecer um artista que trabalhe o realismo sem recurso a processos fotográficos apresentem-me por favor... é como fazer imagens biblicas sem ler a dita. Ricardo, continua o excelente trabalho.